23/02/2019 às 18h01min - Atualizada em 23/02/2019 às 18h01min

Stanley Donen, diretor de 'Cantando na Chuva', morre aos 94 anos nos Estados Unidos

Ex-dançarino da Broadway levou sequências imaginativas de danças para a tela

Stanley Donen, antigo dançarino que dirigiu alguns dos maiores musicais de Hollywood, morreu aos 94 anos. “Cantando na Chuva”, com Gene Kelly, “Sete Noivas para Sete Irmãos” e “Um Dia em Nova York” fazem parte de sua filmografia.
Donen, que ganhou o prêmio honorário do Oscar pelo conjunto da obra em 1998 e impressionou a plateia com uma apresentação imprevista, morreu de ataque cardíaco na quinta-feira (21), em Nova York, segundo o Chicago Tribune, citando um dos seus filhos, Mark Donen.
O ex-dançarino da Broadway levou sequências imaginativas de danças para a tela - Fred Astaire dançou em uma parede e no telhado em “Casamento Real” (1951) - durante uma carreira que o estabeleceu como um dos mestres do cinema musical.
Mas Donen também teve sucesso com outros gêneros, dirigindo a comédia “Bedazzled” (1967), com Peter Cook e Dudley Moore, o romance “Charada” (1963), com Cary Grant e Audrey Hepburn, e a comédia romântica “Indiscreta” (1958), com Grant e Ingrid Bergman.
 
Musical clássico
 
“Cantando na Chuva” (1952), co-dirigido por Donen ao lado de Kelly, é um clássico de música e dança, considerado pelo Instituto Americano de Cinema, em 2006, como o maior musical já realizado.
O filme apresenta uma das sequências mais memoráveis da história do cinema americano - Kelly cantando a música tema, carregando um guarda-chuva e dançando enquanto a água caía, em uma rua, com uma performance virtuosa e acrobática.
O longa, que mostra a Hollywood de 1927, quando os filmes transitavam do silêncio para o som, alcançou sucesso apenas modesto na época do seu lançamento, mas ganhou estatura com o passar dos anos.
Ao contrário de muitos outros musicais, foi feito para o cinema e não foi uma adaptação da Broadway. Donald O’Connor, Debbie Reynolds, Jean Hagen e Cyd Charisse fizeram parte do elenco.
Donen também co-dirigiu “Um Dia em Nova York” (1949), com Kelly, que atuou ao lado de Frank Sinatra na história de três marinheiros em terra firme.
O filme foi filmado fora do estúdio em Nova York - a primeira vez que isso aconteceu em um musical - e apresentou músicas marcantes como “New York, New York”.
 
Outros filmes
 
“Casamento Real”, dois anos depois, foi o primeiro trabalho solo de Donen na direção, com Fred Astaire atuando ao lado de Jane Powell.
Donen dirigiu o ambicioso “Sete Noivas para Sete Irmãos” (1954), com Powell e Howard Keel, e foi nomeado ao Oscar, por Melhor Filme. Como em “Um Dia em Nova York”, ganhou o Oscar de melhor música.
O último dos três filmes co-dirigidos por Donen e Kelly foi “Dançando nas Nuvens” (1955). Outros musicais dirigidos por Donen incluem: “Funny Face” (1957), com Astaire e Audrey Hepburn; “Um Pijama para Dois” (1957), com Doris Day e co-dirigido pela lenda da Broadway, George Abbott; e “Damn Yankees!” (1958), com Tab Hunter, também co-dirigido com Abbott.
 
Fonte: G1 Globo
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »