11/05/2022 às 11h02min - Atualizada em 11/05/2022 às 11h02min

Crime de Costa Rica foi praticado por dois adolescente e pode ter motivos de estupro de menor de 3 anos

Tiroteio que terminou na morte de Silvana Inácio Garcia, de 46 anos, e deixou Elias Moreira Dos Santos, de 55 anos, na noite desta segunda-feira (9), em Costa Rica, teria sido motivado após a uma menina de 3 anos, contar para a mãe que o ‘Avôdrasto Elias’ havia mexido com ela. A mulher que faleceu sabia do estupro e teria pedido para a menina não contar para ninguém.

A reportagem apurou ainda que Elias já foi condenado por estupro de vulnerável e chegou a ficar preso. As primeiras denúncias contra ele foram registradas em julho de 2011.

De acordo com o delegado titular da Delegacia de Polícia Civil de Costa Rica, Caique Ducatti, apenas um dos suspeitos de ter participado do crime ainda não foi preso. Ao todo, quatro pessoas participaram do crime, sendo dois adolescentes de 16 e 17 anos, a mãe da criança, de 22 anos e um homem de 21 anos.

Durante a madrugada, o grupo teria ido de carro até a casa de Elias, local em que o sobrinho da vítima, chamou seu tio e pediu para usar o banheiro. Nesse momento, ele teria se virado de costas, então o adolescente sacou a arma e efetuo disparos contra o homem. Após isso, entregou a arma para o outro envolvido, que realizou novos disparos contra Elias. Em seguida, os dois foram até o quarto e mataram Silvana com três tiros.

Silvana assassinada em Costa Rica
Fonte: Ms Todo Dia

A mãe da menina e suposta mandante do crime ficou apenas assistindo o crime, enquanto o outro envolvido ficou esperando para dar apoio na fuga. Foi relatado que a criança de 3 anos era neta de Silvana, ela acobertava o namorado nos abusos e pedia para que a menina não contasse nada para ninguém.

A prisão provisória foi feita pela Polícia Militar e Polícia Civil de Costa Rica. Os adolescentes, tiveram o pedido da internação provisória solicitada, sendo que apenas o menino de 16 anos está foragido.

O caso agora segue sendo investigado pela polícia local e todos os envolvidos podem responder por dois homicídios dolosos qualificados mediante dissimulação.

Transferência 
Elias está internado na Santa Casa de Campo Grande, estável, ele aguarda para fazer exames de imagens e laboratoriais. O homem foi atingido por dois disparos, sendo um no rosto e outro no tórax.

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »