13/04/2022 às 09h50min - Atualizada em 13/04/2022 às 09h50min

Autor de assassinato em Chapadão do Sul foi suspeito de estupro em Paraíso das Águas; confirma polícia

Um caso cercado de mistério, mas que a Polícia Civil já tem pistas do que possa ter motivado o bárbaro crime ocorrido em uma fazenda na cidade de Chapadão do Sul (MS), no último domingo (10).

O  site BNC Notícias conversou nesta segunda-feira(11) com o delegado responsável pelo caso, Dr. Caique Ducatti – de Costa Rica (MS), que responde por Chapadão do Sul e Paraíso das Águas temporariamente, onde a reportagem gostaria de entender melhor esta história e o que motivou o crime.

Conforme linha de investigação policial, com a oitiva já realizada de várias testemunhas – a Polícia Civil acredita que Anderson da Cruz Silva, 36 anos, natural de Barra da Estiva (BA), conhecido apenas como “Baiano” possa ter tido um surto psicótico, após ser acusado de estupro na cidade de Paraíso das Águas, no último dia 06 de abril, por um familiar, que mais tarde, após apuração dos policiais civis, ficou dúvidas nesta história, que para os policiais estava “muito mal contada” pela suposta vítima. Na ocasião, Anderson chegou a ser conduzido à delegacia para prestar esclarecimentos, onde negou os fatos.

Diante destes fatos e também com uma separação conjugal, com sua esposa de 27 anos, Anderson com este surto, teria praticado o crime que chocou toda a região.

Funcionários da fazenda, que presenciaram toda a ação, relataram  aos policiais, que Anderson chegou ao escritório do gerente da fazenda, identificado como Ivanildo Fai, 53 anos, conhecido como “Magrão”, natural de Primeiro de Maio (PR) e que logo após escutaram o barulho de 02 (dois) disparos de arma de fogo. Informaram ainda, que quando foram ver o que havia acontecido, se depararam com Anderson “Baiano” com uma pistola na mão, gritando (vem, vem vocês também), logo em seguida Anderson ateou fogo em seu veículo, um Ford Ecosport, caminhou por alguns metros e disparou com a arma de fogo contra sua própria cabeça, vindo a cair sobre o solo, já sem vida. O corpo de Anderson ficou caído em posição de cruz, com os braços abertos e os pés um em cima do outro.

Segundo informações repassada pelo delegado Felipe Potter,  a pistola Taurus 9 milímetros, era de propriedade da própria vítima, o gerente da fazenda, Ivanildo Magrão e que antes de cometer o assassinato, Anderson Baiano teria sabotado os tratores, cortando as mangueiras dos maquinários, possivelmente para evitar que fossem usados para conter as chamas em seu veículo. Com todos os seus pertences colocados dentro de seu veículo Ecosport, Anderson ateou fogo.

Anderson esteve juntamente com Ivanildo Magrão no refeitório e juntos tomaram café. Anderson teria ido até a cidade de Chapadão do Sul e quando retornou cometeu o crime.

No local estiveram a guarnição da Polícia Militar, o delegado de Polícia Civil de Chapadão do Sul, Dr. Felipe Machado Potter e a Polícia Cientifica de Costa Rica.

Os corpos foram removidos ao IMOL (Instituto Médico Odontológico Legal) de Paranaíba (MS).

Seguem as investigações a fim de tentar esclarecer a real motivação deste crime.

Fonte: Zapnews


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »