24/03/2022 às 14h06min - Atualizada em 24/03/2022 às 14h06min

Municípios de Goiás estão liberados para dispensar máscaras em ambientes fechados

Os municípios goianos estão autorizados a dispensar o uso de máscara também em locais fechados. A decisão foi firmada na última quarta-feira (23) durante reunião do Centro de Operações de Emergências (COE) em Saúde Pública de Goiás para Enfrentamento ao Coronavírus. O conjunto de orientações indica, no entanto, que os grupos vulneráveis devem ser recomendados a manter o uso do item de proteção contra a Covid-19.

A autorização para a dispensa de máscaras também em ambientes fechados amplia as previsões da Nota Técnica publicada pelo Estado no dia 10 deste mês. Até então, a indicação estadual pedia a manutenção do uso em transporte público, shoppings, supermercados, boates, aeroportos, rodoviárias, escolas, entre outros. Agora, também para esses locais, o uso será “recomendado” e não mais obrigatório.

A nova leitura leva em consideração um conjunto de recomendações definidas pela Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI). Os itens editados pela SBI foram aprovados na íntegra pelos membros do COE. “Essa flexibilização vem ocorrendo de forma heterogênea no país, e a SBI traz algumas recomendações essenciais com o objetivo de orientar a população sobre o uso de máscaras no atual cenário”, diz o texto ao justificar o posicionamento.

A recomendação para manter o uso se estende para dois grupos. O primeiro trata de pessoas mais vulneráveis à contaminação ou que apresentam maior fragilidade em caso de contrair a doença. O segundo grupo recomendado a manter o uso é aquele que estiver em locais abertos ou fechados com aglomerações. Já para os locais fechados sem aglomeração, o uso será por decisão individual.

A superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Flúvia Amorim, diz que a nota da SBI foi aprovada na íntegra, que será repassada para que os municípios a utilizem como “norteador” das decisões. “Enquanto Estado a gente faz as recomendações. Os decretos são de responsabilidade dos municípios. O gestor pode pegar essa nota e definir que a partir do que foi recomendado irá obrigar o uso de máscaras em transporte coletivo, por exemplo”, explica Flúvia.

Para a superintendente, apesar da desobrigação, a percepção é de que a população deve ter consciência para usar a máscara quando necessário. “O que eu percebo é que muitas pessoas estão usando máscara mesmo em locais abertos e sem aglomerações. E isso deve continuar assim até que as pessoas comecem a se sentir seguras para parar de usar”, considera.

Cenário da pandemia

Além de considerar a nota da SBI, o COE levou em consideração os números da pandemia nos municípios goianos. Até então, a gestão estadual esperava para observar os impactos numéricos do período de Carnaval. A constatação, no entanto, foi de que, apesar dos receios, os números de infecções, internações e óbitos seguiram caindo. “Nenhum número representa preocupação”, afirma a superintendente da SES.

Os dados da pandemia de Covid-19 indicam que até a tarde desta quarta-feira os municípios goianos já registraram, juntos, 1.261.837 casos. De todo o montante, 199 mil foram notificados em janeiro, 78 mil em fevereiro e 13 mil neste mês, indicando forte queda. Os óbitos acompanharam a redução. Dos 26.182 registrados durante toda a pandemia, foram 673 em janeiro, 505 em fevereiro e 145 neste mês.

As taxas de ocupações de UTI Covid-19 no estado também reduziram após a alta registrada entre janeiro e fevereiro. Em novembro a taxa de ocupação ficou em 36,17%, oscilando pouco em dezembro, quando ficou em 35,35%. O índice mais que dobrou em janeiro, subindo para 76,82% e crescendo ainda mais em fevereiro: 78%. Neste mês, porém, a taxa está em 50%.
 

Fonte: O Popular
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »