10/02/2022 às 14h59min - Atualizada em 10/02/2022 às 14h59min

Hospital é condenado a pagar R$ 30 mil a filhos de mulher que morreu de Covid-19 e teve corpo trocado, em Goiânia

Erro só foi descoberto quando caixão era levado para enterro em cidade do interior. Unidade chegou a recorrer uma vez da sentença, mas perdeu novamente.

Um hospital de Goiânia foi condenado a indenizar em R$ 30 mil os filhos de uma mulher de 78 anos que morreu de Covid-19 e teve o corpo trocado. O corpo foi liberado para a funerária sem o reconhecimento da família. O erro só foi descoberto quando o caixão era levado para enterro em cidade do interior.

A mulher morreu em agosto de 2020. Os familiares combinaram com o Hospital Ruy Azeredo que fariam o reconhecimento do corpo na unidade. Porém, por erro de funcionários, a liberação aconteceu antes da chegada da família.
 

g1 entrou em contato por mensagem com a defesa do hospital às 8h45 e não teve retorno até a última atualização dessa reportagem.

“Ainda que não tenha restado comprovado se houve, ou não, a identificação correta dos corpos após o óbito das pacientes – ônus da requerida – é certo que restou comprovado, pelo depoimento das próprias testemunhas da parte ré, que o corpo foi indevidamente liberado para transporte antes do reconhecimento pela família, reconhecimento o qual, sem qualquer dúvida, cabia ao hospital realizar”, diz a sentença, publicada em outubro de 2021.

A Justiça definiu o valor da indenização em R$ 10 mil para cada um dos três filhos. O hospital recorreu e, no último dia 2 de fevereiro, a condenação foi mantida.

Quando a família descobriu o erro, o corpo já estava sendo levado para Indiara, onde seria enterrado. A resolução do problema gerou um atraso no sepultamento, o que também gerou um gasto de mais de R$ 700 para os filhos.

Na sentença, o hospital também foi condenado a ressarcir a família no valor gasto com o novo agendamento do enterro.


Fonte: G1Goiás


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »