02/09/2021 às 10h11min - Atualizada em 02/09/2021 às 10h11min

JOVEM CONFESSA QUE DECAPITOU AVÔ POR ELE TER ABUSADO SEXUALMENTE DE NETA ADOLESCENTE

O jovem de 19 anos que foi preso suspeito de decapitar o próprio avô confessou à Polícia Civil que cometeu o crime porque o idoso havia abusado sexualmente da irmã de 12 anos do próprio investigado. O rapaz contou que o crime contra a menina aconteceu no Pará, onde mora com a família e recebeu visita do idoso recentemente.
O nome do preso não foi divulgado, por isso o G1 não conseguiu descobrir quem é responsável pela defesa dele para pedir uma posição sobre o caso.
O idoso foi encontrado morto no fim da tarde de terça-feira (31), na casa em que morava em Senador Canedo, na Região Metropolitana de Goiânia. Preso suspeito do crime, o neto contou à Polícia Civil que, em viagem ao Pará, o idoso foi acusado pela adolescente de abuso sexual e voltou às pressas, no domingo (29), para Goiás.
Ainda de acordo com a corporação, o jovem, que mora com a família no Pará, disse que viajou para Senador Canedo para confrontar o idoso, já levando um facão escondido nas roupas. Consta no registro policial que, já na casa do avô, o neto chegou a ir ao banheiro para refletir sobre o que faria.
Também segundo o depoimento do preso, de acordo com a Polícia Civil, neto e avô discutiram, o jovem o golpeou e decapitou com o facão. No relato, consta que o rapaz colocou a cabeça do avô em um saco e depois chamou um motorista por meio de aplicativo.
No meio do caminho, o rapaz teria pedido para que o condutor parasse na ponte da Avenida Afonso Pena para que ele jogasse fora um gato morto que levava dentro de um saco de lixo – no entanto, a corporação apurou que o que estava lá dentro era mesmo a cabeça do avô.
Corpo encontrado
O corpo do idoso, que tinha 82 anos, foi encontrado quando um vizinho deu falta dele e chamou a família. Filho da vítima e o neto que foi preso em seguida foram à casa e encontraram o corpo do parente.
A Polícia Militar também foi acionada e registrou que, segundo os parentes, o idoso não tinha desavenças ou dívidas que pudessem ter motivado o crime.
Agentes da Polícia Civil estiveram no local e encontraram indícios de que o próprio neto, que encontrou o corpo do avô junto com o pai, poderia ter cometido o crime. A corporação não divulgou o que gerou a desconfiança.
Segundo a Polícia Técnico-Científica, a cabeça deve ser identificada por meio de exame de DNA para confirmar que pertence ao idoso decapitado.

Fonte: G1
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »