04/06/2021 às 11h30min - Atualizada em 04/06/2021 às 11h30min

Oito pacientes Covid-19 de MS são transferidos para Rondônia

Estado transfere pacientes por causa da superlotação dos leitos

Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde, transfere oito pacientes com Covid-19 do município de Dourados para o Estado de Rondônia nesta sexta-feira (4). A decisão veio após reunião realizada no final da tarde desta quinta-feira (11), coordenada pelo Coronel Marcello Fraiha, Assessor da Secretaria de Estado de Saúde, em que envolveu diversos representantes de instituições de Mato Grosso do Sul, Rondônia, além do Ministério da Saúde e da Defesa.

Segundo o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, a oferta de 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) foi oferecida pelo secretário Fernando Rodrigues Máximo (Saúde) e pelo governador do Estado de Rondônia, Marcos Rocha.

“É um ato de reciprocidade, pois em janeiro deste ano, o Estado de Rondônia precisou dos leitos do Hospital Regional que é do Governo do Estado. Agora, eles retribuem de forma generosa, leitos que poderão ser utilizados por pacientes de Mato Grosso do Sul lá em Porto Velho (RO)”, explica Resende.

Os pacientes que se encontram internados em unidades de saúde de Dourados, saem por volta das 6 horas em ambulâncias - do tipo UTI móvel, com destino à Campo Grande acompanhado de médicos e enfermeiros. Dos oitos pacientes, quatro são mulheres com idades de 79 anos, 68 anos, 58 anos, 52 anos e de 29 anos. E três são homens de 55 anos, 51 anos e 32 anos. O transporte aéreo será realizado com emprego da aeronave C105 Amazonas da ALA 5 da Força Aérea Brasileira (FAB) previsto para decolar às 12 horas de MS.

A SES informa que o município de Dourados está em bandeira cinza, com lotação máxima no sistema de saúde e a transferência dos pacientes para Rondônia ocorre após autorização dos familiares e dos próprios pacientes. O primeiro paciente a ser encaminhado para Porto Velho (RO) foi transferido no dia 2 de junho e reside no município de Bonito.



Fonte: ASSCOM
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »