05/01/2021 às 11h25min - Atualizada em 05/01/2021 às 11h25min

Família de entregador morto após ser atropelado enquanto trabalhava cobra justiça: 'Perda incalculável'

Segundo ocorrência, motorista estava 'visivelmente embriagado'. Cunhadas de Jonas Eduardo Neves pedem prisão do suspeito: 'Tirou a vida dele, deixando esposa e três filhos desamparados'. Acidente aconteceu no dia 31 de dezembro, em Goiânia.

A família do entregador Jonas Eduardo Neves de Santana, de 31 anos, morto após ser atropelado por um motorista embriagado, em Goiânia, pede que seja feita justiça. O suspeito de dirigir bêbado e causar o acidente não foi preso. Jonas foi atropelado no último dia 31 de dezembro, no Parque Amazônia, enquanto fazia uma entrega.

O entregador trabalhava em uma farmácia à tarde e em um restaurante à noite e estava fazendo a primeira entrega do dia quando foi atropelado. Ele chegou a ser socorrido com vida e encaminhado a um hospital, mas teve uma parada cardíaca e não resistiu.

O motorista do carro teve ferimentos e também precisou ser levado ao hospital. De acordo com a cunhada de Jonas, a atendente de suporte técnico Dayane Gomes dos Santos, o suspeito não chegou a fazer o teste do bafômetro. “Nos disseram que quando chegaram para fazer ele já tinha sido levado para o hospital”, relata.

Como o nome do suspeito não foi divulgado, o G1 não conseguiu localizar a defesa dele.

Segundo relato do Corpo de Bombeiros, anexado na ocorrência policial, o motorista estava “visivelmente embriagado”. Ele reclamava de dor no tórax e no pescoço e foi encaminhado ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

A família de Jonas procurou a polícia cobrando a prisão do suspeito, mas foi informada de que já havia se encerrado a situação de flagrante. O G1 tenta mais informações sobre o caso com a Polícia Civil.
 

Família desamparada

 

Segundo Stephany Gomes dos Santos, também cunhada da vítima, Jonas quem sustentava a família, dividindo-se entre dois empregos. Ele deixou esposa e três filhos pequenos, de 3, 6 e 8 anos de idade.

 

“Está sendo muito difícil com aquele assassino solto, o sofrimento é ainda maior. A nossa esperança é que ele seja preso e que à justiça seja feita o mais rápido possível”, afirma.

 

Para Dayane Gomes, a esperança por justiça é que o tem dado forças para a família seguir em frente. “Queremos que a justiça seja feita, apesar que isso não vai trazer meu cunhado de volta. Isso é uma perda incalculável, uma vida que não dá para trazer de volta, mas queremos que esse assassino pague pelo crime que cometeu e que isso não fique impune”, afirma.
 

“Esse homem é um assassino. A partir do momento que ele bebe, entra em um carro embriagado para dirigir, em alta velocidade, ele assume o risco de matar alguém, e foi isso que ele fez. Ele tirou a vida do meu cunhado, deixando esposa e três filhos desamparados”, conclui.
 

Fonte: G1Goiás


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »