07/05/2020 às 10h15min - Atualizada em 07/05/2020 às 10h15min

Conselhos de Medicina e Enfermagem investigam denúncias de que médico trabalhou com Covid-19 em hospital de Goiânia

Técnica em enfermagem diz que, com essa atitude, outros funcionários também foram contaminados. Entidades farão vistorias na unidade.

Os conselhos regionais de Medicina e Enfermagem investigam denúncias de que um médico estava trabalhando mesmo diagnosticado com coronavírus, em Goiânia. Com isso, ele teria infectado outros funcionários. No mesmo hospital, uma idosa morreu com Covid-19 e a família denuncia que ela contraiu a doença enquanto estava internada.

Uma técnica de enfermagem da unidade testou positivo para Covid-19 e afirma que um médico espalhou o vírus ao trabalhar doente. “Eu achei muita falta de responsabilidade dele vir trabalhar e contaminar todo mundo. A equipe de enfermagem quase toda está infectada. Eu estou sentindo muita dos nas pernas, parece que vai quebrar. Olfato, paladar eu não tenho”, disse a profissional, sem querer ser identificada.

O G1 entrou em contato às 8h por email e telefone com o Hospital Jacob Facuri e com a Central Vida, empresa que administra a UTI da unidade, mas ninguém da direção foi localizado até o momento para comentar sobre as denúncias.

O Conselho Regional de Enfermagem (Coren) informou que recebeu denúncia sobre solicitação de desinfecção de UTI do hospital Jacob Facuri e de profissionais de enfermagem testados positivos para Covid-19 ainda em posto de trabalho. O órgão informou que via até o local averiguar os fatos, mas não informou a data para manter o sigilo da fiscalização.
 

Os conselhos regionais de Medicina e Enfermagem investigam denúncias de que um médico estava trabalhando mesmo diagnosticado com coronavírus, em Goiânia. Com isso, ele teria infectado outros funcionários. No mesmo hospital, uma idosa morreu com Covid-19 e a família denuncia que ela contraiu a doença enquanto estava internada.

Uma técnica de enfermagem da unidade testou positivo para Covid-19 e afirma que um médico espalhou o vírus ao trabalhar doente. “Eu achei muita falta de responsabilidade dele vir trabalhar e contaminar todo mundo. A equipe de enfermagem quase toda está infectada. Eu estou sentindo muita dos nas pernas, parece que vai quebrar. Olfato, paladar eu não tenho”, disse a profissional, sem querer ser identificada.

O G1 entrou em contato às 8h por email e telefone com o Hospital Jacob Facuri e com a Central Vida, empresa que administra a UTI da unidade, mas ninguém da direção foi localizado até o momento para comentar sobre as denúncias.

O Conselho Regional de Enfermagem (Coren) informou que recebeu denúncia sobre solicitação de desinfecção de UTI do hospital Jacob Facuri e de profissionais de enfermagem testados positivos para Covid-19 ainda em posto de trabalho. O órgão informou que via até o local averiguar os fatos, mas não informou a data para manter o sigilo da fiscalização.
 

Paciente

 

A neta de uma idosa que morreu na UTI da unidade disse que a paciente contraiu o coronavírus enquanto estava internada. Familiares que acompanhavam a idosa também testaram positivo para a Covid-19.

Maria Rodrigues foi internada com pneumonia e infecção renal. A neta, Brenda Rodrigues, diz que a avó apresentou melhoras e tinha até previsão de alta médica, mas depois foi piorando e apresentando os sintomas de coronavírus. Ela morreu após um mês internada. Ela testou positivo para a doença.

Ela tinha previsão de alta, mas no hospital mesmo foi contaminada. Isso a gente tem certeza. O médico de lá nos afirmou que ela foi contaminada lá”, disse.

Em nota, o hospital informou que, após identificar os sinas suspeitos de Covid-19, iniciou o tratamento conforme os protocolos do Ministério da Saúde. Como não havia leitos de isolamento disponíveis, a paciente foi regulada para o Hospital de Campanha, mas não foi possível fazer a transferência a tempo.

Íntegra das notas

Conselho Regional de Medicina

Desde 24 de março, o Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) mantém um canal direto para o recebimento de informações sobre a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e falhas nas condições de funcionamento em unidades de saúde goianas neste período de pandemia e tem fiscalizado regularmente todas as denúncias recebidas. Mas, o Cremego desconhece essas denúncias envolvendo médicos e pacientes do Hospital Jacob Facuri. A partir desta informação da imprensa, o Conselho fará uma vistoria na unidade para verificar as condições de funcionamento e de trabalho dos médicos.

Conselho Regional de Enfermagem

O Conselho Regional de Enfermagem de Goiás (Coren-GO) informa que recebeu denúncia sobre solicitação de desinfecção de UTI do Hospital Jacob Facuri e de profissionais de enfermagem testados positivos para Covid-19 ainda em posto de trabalho. O órgão irá até o local averiguar os fatos. Entretanto, a data não pode ser informada para garantir o caráter de fiscalização.

 

Sobre denúncia de médico testado positivo para Covid-19 e exercendo suas atividades na unidade, o Conselho encaminhou na última segunda-feira, 4/4, ofício para o Conselho Regional de Medicina de Goiás solicitando averiguação e medidas cabíveis.
Fonte: G1Goiás


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »