16/03/2020 às 14h36min - Atualizada em 16/03/2020 às 14h36min

Governo manda fechar lojas da região da 44 para evitar disseminação do coronavírus em Goiânia

O governo de Goiás determinou que as lojas da região da 44, no centro de Goiânia, devem ficar fechadas para evitar a disseminação do coronavírus pela capital. A partir de quinta-feira (19), todos os comércios do local devem suspender as atividades, a princípio, por 15 dias. O presidente da Associação Empresarial da Região 44 (AER-44), Jairo Gomes, disse que a determinação foi repassada pelo governador em reunião nesta segunda-feira (16). Segundo ele, o caso será colocado em discussão durante assembleia, mas que a tendência é obedecer a ordem. "Entendemos que antes da economia, temos que preocupar com a vida. A Região da 44 recebe turistas de todo o Brasil e é sim mais vulnerável. Vamos votar e sair com a decisão", disse ao G1. Ainda segundo o presidente, o fechamento pode ser por mais ou menos tempo, dependendo do controle e aumento dos casos de Covid-19 em Goiás. Considerado o segundo maior polo de moda popular do país, a Região da 44 possui atualmente quase 15 mil lojas, distribuídas entre 103 shoppings e galerias. Uma nota técnica da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), expedida no domingo (15), determinou a suspensão das aulas em todas as escolas pelos próximos 15 dias. O prazo máximo para começar esse período sem atividades escolares é quarta-feira (18). As empresas e repartições públicas também receberam orientações para evitar aglomerações e incentivar o teletrabalho. Também segundo a SES-GO, há quatro casos confirmados do Covid-19 no estado, sendo três em Goiânia e uma em Rio Verde, no sudoeste goiano. A pasta ainda avalia 85 casos suspeitos. Medidas de prevenção As visitas ao Parque Mutirama e Zoológioco foram suspensas pela Prefeitura de Goiânia. O mesmo foi recomendado para shows, atrações culturais e eventos religiosos. Empresas públicas e privadas receberam recomendação para, se possível, diminuir o efetivo e trabalhar em revezamentos. A Defensoria Pública e o Ministério Público de Goiás passaram a atender apenas casos urgentes. Shoppings e comércios já informaram que estão oferecendo álcool em gel e orientações sobre higienização. Porém, funcionam normalmente até esta segunda-feira. Fonte: G1Goiás

O governo de Goiás determinou que as lojas da região da 44, no centro de Goiânia, devem ficar fechadas para evitar a disseminação do coronavírus pela capital. A partir de quinta-feira (19), todos os comércios do local devem suspender as atividades, a princípio, por 15 dias.
O presidente da Associação Empresarial da Região 44 (AER-44), Jairo Gomes, disse que a determinação foi repassada pelo governador em reunião nesta segunda-feira (16). Segundo ele, o caso será colocado em discussão durante assembleia, mas que a tendência é obedecer a ordem.
"Entendemos que antes da economia, temos que preocupar com a vida. A Região da 44 recebe turistas de todo o Brasil e é sim mais vulnerável. Vamos votar e sair com a decisão", disse ao G1.
Ainda segundo o presidente, o fechamento pode ser por mais ou menos tempo, dependendo do controle e aumento dos casos de Covid-19 em Goiás.
Considerado o segundo maior polo de moda popular do país, a Região da 44 possui atualmente quase 15 mil lojas, distribuídas entre 103 shoppings e galerias.
Uma nota técnica da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), expedida no domingo (15), determinou a suspensão das aulas em todas as escolas pelos próximos 15 dias. O prazo máximo para começar esse período sem atividades escolares é quarta-feira (18).
As empresas e repartições públicas também receberam orientações para evitar aglomerações e incentivar o teletrabalho.
Também segundo a SES-GO, há quatro casos confirmados do Covid-19 no estado, sendo três em Goiânia e uma em Rio Verde, no sudoeste goiano. A pasta ainda avalia 85 casos suspeitos.

Medidas de prevenção

As visitas ao Parque Mutirama e Zoológioco foram suspensas pela Prefeitura de Goiânia. O mesmo foi recomendado para shows, atrações culturais e eventos religiosos.
Empresas públicas e privadas receberam recomendação para, se possível, diminuir o efetivo e trabalhar em revezamentos. A Defensoria Pública e o Ministério Público de Goiás passaram a atender apenas casos urgentes.
Shoppings e comércios já informaram que estão oferecendo álcool em gel e orientações sobre higienização. Porém, funcionam normalmente até esta segunda-feira.


Fonte: G1Goiás
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »