28/02/2020 às 15h06min - Atualizada em 28/02/2020 às 15h06min

Motorista morto na porta de casa levou 8 tiros e voltava da missa ao ser atingido, diz delegado; PM é suspeito

Imagens mostram carro do suspeito passando logo após o da vítima e fugindo em seguida. Polícia apura se colisão no trânsito motivou crime, ocorrido em Corumbá de Goiás.

A Polícia Civil já começou a ouvir as testemunhas da morte do motorista de ambulância Fabiano Araújo Costa, de 44 anos. Segundo o delegado Tibério Cardoso, responsável pelo caso, o laudo atestou que a vítima foi atingida por oito tiros na porta de casa, em Corumbá de Goiás, região central do estado, quando voltava de uma missa. Um policial militar é um dos suspeitos do crime.
Fabiano foi assassinado na noite do último domingo (23). Imagens de câmeras de segurança obtidas pela polícia mostram o carro da vítima dobrando a esquina da rua onde morava e o carro onde estavam os criminosos logo atrás. Segundos depois, o veículo do atirador da marcha ré e foge (veja vídeo acima).
O delegado diz que apura o que motivou o crime, tendo em vista que Fabiano não tinha passagem pela polícia ou qualquer inimizade.
"Ele levou oito tiros, sendo três na cabeça, além de outros no tronco e no braço. Ele saiu para ir à missa. É uma pessoa que tem boa índole e reputação na cidade, todos o conheciam. O povo está perplexo", disse Cardoso ao G1.
Além disso, ao menos 13 estojos foram recolhidos no local do crime - todos calibre 9 milímetros. Testemunhas relataram na ocorrência terem ouvido 17 disparos.
O carro de Fabiano tem inúmeras marcas de bala. O para-brisa traseiro ficou totalmente destruído.

Batida de trânsito

No registro da ocorrência, havia a informação de que uma briga de trânsito poderia ter causado o homicídio. O delegado diz que essa questão ainda é investigada.
Ele diz que já está confirmada a colisão entre o carro da vítima (um GM Ônix) e o do suspeito (uma BMW), mas apura se isso causou o assassinato.
"Há no carro da vítima uma marca de uma pequena batida com um resquício de tinta na tonalidade vermelha, cor do veículo usado pelo atirador", explica.

Depoimentos

Na quinta-feira (27), a polícia colheu cinco depoimentos de testemunhas, incluindo familiares da vítima. Uma delas contou ter visto quatro pessoas no carro.
"O carro estava lotado, os vidros do motorista e do passageiro estavam todos descidos e eles estavam de cara limpa, normais. Mas o carro com certeza tinha quatro pessoas", afirma a mulher, que prefere não se identificar.

PM suspeito

Um cabo da PM, lotado nas Rondas Ostensiva Tática Metropolitana (Rotam) em Luziânia, no Entorno do DF, é um dos suspeitos do crime. Ao confrontar os dados do carro usado, chegou-se a ele.
De acordo com o delegado, o militar se apresentou no dia seguinte ao crime na Central de Flagrantes de Anápolis. No local, ele permaneceu em silêncio.
A PM ainda não se manifestou sobre o caso.
O delegado diz que ele será intimado para prestar depoimento sobre o caso até semana que vem. Cardoso também quer saber quem são as outras pessoas que estavam no carro com ele.
 
Fonte: G1Goiás
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »