05/02/2020 às 14h05min - Atualizada em 05/02/2020 às 14h05min

Secretaria de Saúde capacita profissionais no combate à Hanseníase

Pensando na importância de ter profissionais aptos a atender e realizar precocemente o diagnóstico da doença, além da busca ativa de pacientes com a comorbidade, a Secretaria Municipal de Saúde através da Vigilância Epidemiológica e Atenção Primária a Saúde realizou nos dias 28 e 29 de janeiro capacitação aos profissionais médicos, enfermeiros e agentes comunitários de saúde a qual foi ministrada pela médica dermatologista Mariana Monteiro que atua no município.
A capacitação foi um sucesso, sendo dividida em três momentos: agentes comunitários, médicos e enfermeiros. Visto que a dinâmica com cada grupo é diferente. Foram momentos de aprendizado e muita participação, onde os todos os envolvidos puderam aprender mais e sanar dúvidas. Todos que puderam participar elogiaram a médica palestrante e saíram com um olhar mais atento a doença.
 
Relembrando:
A hanseníase é uma doença infecciosa crônica causada pela bactéria Mycobacterium leprae, caracterizada pelo comprometimento dos nervos periféricos, com perda/alteração de sensibilidade cutânea térmica, dolorosa e/ou tátil e de força muscular, o que pode gerar incapacidades físicas permanentes, principalmente em mãos, pés e olhos.

O diagnóstico precoce continua sendo o elemento individual mais importante na cura da doença, prevenção de deficiências e redução da transmissão e baseia-se em sinais e sintomas clínicos e histórico epidemiológico. A baciloscopia do raspado intradérmico, exame auxiliar no diagnóstico, pode ser positiva ou negativa dependendo da classificação operacional (multibacilar/paucibacilar). O resultado negativo não afasta o diagnóstico de hanseníase.
Fiquem atentos :
  • Manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas, em qualquer parte do corpo, com perda ou alteração de sensibilidade térmica (ao calor e frio), tátil (ao tato) e à dor, que podem estar principalmente nas extremidades das mãos e dos pés, na face, nas orelhas, no tronco, nas nádegas e nas pernas;
  • Área de pele seca e com falta de suor, com queda de pelos, especialmente nas sobrancelhas; sensação de formigamento;
  • Dor e sensação de choque, fisgadas e agulhadas ao longo dos nervos dos braços e das pernas, inchaço de mãos e pés; diminuição da força dos músculos das mãos, pés e face devido à inflamação de nervos, que nesses casos podem estar engrossados e doloridos;
  • Úlceras de pernas e pés; caroços (nódulos) no corpo, em alguns casos avermelhados e dolorosos; febre, edemas e dor nas juntas; entupimento, sangramento, ferida e ressecamento do nariz; ressecamento nos olhos.
  • Alguns casos não apresentam lesões de pele, apenas comprometimento de nervos periféricos, ocasionando assim alterações de sensibilidade e força muscular, além de dores na região dos respectivos nervos.
Fiquem atentos a quaisquer sinais e sintomas, e se você conviveu com pessoas com Hanseníase, procurem a unidade de saúde! 
Fonte: Prefeitura de Chapadão do Sul
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »