22/01/2020 às 14h45min - Atualizada em 22/01/2020 às 14h45min

Suspeito que teve nome escrito em sangue fica calado ao ser questionado sobre morte de grávida, em Anápolis

Mulher de 38 anos estava no 7º mês de gestação quando foi esfaqueada. Polícia Civil investiga relação entre autor e preso além da motivação do crime.

O homem que foi preso em flagrante suspeito de matar uma mulher grávida não respondeu às perguntas feitas a ele sobre o caso, segundo o delegado Vander Coelho. A Polícia Civil apura a motivação do crime, cometido em Anápolis, a 55 km de Goiânia, na segunda-feira (20). Logo antes de morrer, vítima conseguiu escrever nome do suspeito usando o próprio sangue.
Luciene Maria de Sousa, de 38 anos, estava no sétimo mês de gestação quando foi esfaqueada e morreu, ainda no local. O homem foi localizado horas depois pelos policiais e preso, ainda sujo de sangue – que uma perícia deve indicar se é ou não o da vítima.
Coelho contou que a principal suspeita é que a motivação tenha algum envolvimento com drogas, já que os dois seriam usuários. No entanto, ainda é necessário ouvir vizinhos e parentes da mulher para saber se ela e o preso não tinham outro tipo de relacionamento.
“Ele ficou em silêncio durante o interrogatório e segue incerta a motivação. Não sabemos se foi relacionado a drogas – que é a principal suspeita – ou se eles tinham alguma outra relação”, afirmou.
O delegado disse ainda que a Polícia Técnico Científica poderá contribuir com mais provas para o caso, devido às perícias solicitadas.
“Foi coletado material genético do autor, sangue da vítima. Vamos ver se o material genético sob a unha da vítima é dele [suspeito] e se o sangue que estava nele é o da vítima. Para ver se ela tentou lutar, ter mais elementos”, detalhou.


Fonte: G1Goiás
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »