13/01/2020 às 15h10min - Atualizada em 13/01/2020 às 15h10min

Ex-marido é morto ao tentar invadir casa de advogada em Formosa, diz polícia

Segundo a polícia, um homem contratado pela mulher como segurança é o suspeito do crime. Dona da residência disse que sempre teve um relacionamento conturbado e era ameaçada.

Um homem de 34 anos foi morto ao tentar invadir a casa da ex-mulher, em Formosa, no Entorno do Distrito Federal. Segundo as investigações, um homem contratado para fazer a segurança dela é o suspeito de ter cometido o crime. A mulher, que é advogada e não quis ter a identidade divulgada, disse que sempre teve um relacionamento conturbado e vinha sendo constantemente ameaçada.
O crime aconteceu no sábado (11). A advogada conta que foi casada durante quatro anos, mas já estava separada há pouco mais de um mês. Desde então, recebia ameaças do ex-marido.
“Ele dizia a todos que nossa relação só acabaria comigo ou com ele morto. Eu tinha certeza que ele ia me matar”, disse a mulher ao G1.
O caso está sendo investigado pelo Grupo de Investigação de Homicídios de Formosa. Em depoimento à polícia, ela contou que contratou um conhecido para ficar como seu segurança na noite do crime, pois o ex-marido já tinha feito novas ameaças naquela data.
Segundo o boletim de ocorrências, após o homem invadir a casa da advogada, o segurança deu um disparo para o alto para tentar intimidá-lo, mas o ex-marido continuou muito nervoso.
“O cara [segurança] ficou com a arma mirada e ele [ex-marido] continuava falando que ia me matar e foi indo no rumo do segurança. O cara era magro e meu ex era forte e, com certeza, pensou que ia tomar a arma dele e matar todo mundo. Aí o cara atirou”, contou a advogada.
De acordo com a Polícia Civil, após o crime, o homem contratado como segurança fugiu no carro da vítima, que foi abandonado posteriormente. O suspeito do crime ainda não se apresentou na delegacia nem foi localizado até a manhã desta segunda-feira (13).
A advogada contou que sabia que o segurança estava armado. Ele passou a noite dentro da casa e só saiu quando o ex-marido se recusou a ir embora. “A arma era para afastar. Só foi usada porque precisou, isso você pode ter certeza. Não queria nunca aquela tragédia. Nunca”, completou.


Fonte: G1Goiás
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »