26/12/2019 às 15h14min - Atualizada em 26/12/2019 às 15h14min

Vídeo mostra ataque à produtora do Porta dos Fundos no Rio

TV Globo teve acesso a imagens de câmeras de segurança. Em outro vídeo, um grupo reivindica a autoria do ataque e mostra o momento em que coquetéis molotov são lançados.

A Polícia Civil do RJ analisa vídeos que mostram o momento do ataque à produtora do Porta dos Fundos. A TV Globo teve acesso a imagens de câmeras de segurança, que mostram a ação.
O prédio onde a equipe do canal de humor grava, no Humaitá, Zona Sul do Rio, foi atacada por pelo menos quatro pessoas, que lançaram bombas caseiras incendiárias na madrugada de terça-feira (24). Um segurança impediu que as chamas se alastrassem. Ninguém se feriu.
Em outro vídeo, divulgado em redes sociais, três mascarados que dizem pertencer a ao “Comando de Insurgência Popular Nacionalista da Grande Família Integralista Brasileira” leem um manifesto no qual assumem o ataque. A Frente Integralista Brasileira (FIB) divulgou nota nesta quinta-feira (26) para negar qualquer relação com o grupo.
Em entrevista coletiva, a polícia informou que identificou as placas de um carro e uma moto usados no ataque e que vai ouvir os proprietários dos veículos.
Os investigadores não acreditam que o incidente foi um atentado terrorista. “Terrorismo, a princípio, não foi classificado”, disse o subsecretário operacional, Fábio Barucke.
Segundo ele, o caso está sendo tratado como tentativa de homicídio.
“Verificamos que houve perigo grave, concreto, contra o segurança que estava no local. Isso caracteriza tentativa de homicídio por parte desses autores (...) Entendemos que esse fato é grave, que merece ser solucionado para identificar esses autores desse delito”, disse Barucke.
Estamos falando aqui sobre liberdade de expressão. A gente tem um ato violento que aconteceu, que a gente não vai permitir que aconteça, a gente confia totalmente no trabalho da polícia, por isso viemos aqui fazer essa reunião", disse o ator João Vicente, integrante do Porta dos Fundos.
"O Rio de Janeiro não precisa de mais violência, não precisa de mais grupos violentos, e a gente precisa cortar esse mal pela raiz", disse o ator.
Críticas a especial de Natal
O Porta dos Fundos tem sido criticado pela maneira como retratou Jesus no Especial de Natal deste ano, um programa de humor, exibido na Netflix. O filme insinua que Jesus teve uma experiência homossexual após passar 40 dias no deserto.
Grupos cristãos de várias denominações têm protestado contra o especial com veemência por se sentirem ofendidos em sua fé.
Em nota, sem atribuir a qualquer grupo a autoria do ataque, o Porta dos Fundos afirmou que condena qualquer ato de ódio e violência e, por isso, já disponibilizou as imagens das câmeras de segurança para as autoridades, e espera que os responsáveis pelos ataques sejam encontrados e punidos.
Eles disseram ainda que os integrantes do grupo vão seguir em frente "mais unidos, mais fortes e mais inspirados pela liberdade de expressão".

Witzel se manifesta

O governador do RJ, Wilson Witzel, se pronunciou nesta quinta sobre o ataque.
"Eu estou acompanhando as investigações. Como tenho dito desde o início do ano, eu sou contra toda forma de violência ou intolerância. Nós temos os caminhos normais para poder buscar reparação de eventual dano que tenha sido ocorrido. A via correta é o Poder Judiciário. Através do juiz que você vai ter a reparação do dano quando for devido. Então sou absolutamente contrário a toda forma de intolerância e violência”, disse.
“Nós queremos em no prazo mais rápido possível encontrar quem são os autores dessa espécie de atentado e dar, imediatamente, a sociedade as respostas necessárias."
 
Fonte: G1
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »