23/09/2019 às 14h49min - Atualizada em 23/09/2019 às 14h49min

Sergio Moro diz que morte de Ágatha Félix no Rio foi um 'evento infeliz', uma tragédia que está 'em apuração'

Menina de 8 anos morreu após ser atingida por um tiro nas costas durante ação policial. Declaração do ministro foi dada durante reunião para apresentar as ações da Força Nacional para combater a criminalidade em Goiânia.

O ministro Sergio Moro disse nesta segunda-feira (23) que a morte de Ágatha Vitória Felix, de 8 anos, durante uma ação policial no Rio de Janeiro, já está em investigação e, só a partir do resultado, podem-se "tirar conclusões".
"O evento que aconteceu é terrível. Mas os fatos estão em apuração(...). Foi um evento infeliz, a morte de uma criança é sempre uma tragédia", completou o ministro da Justiça e Segurança Pública.
A declaração foi dada em Goiânia durante uma reunião para acompanhar o andamento do programa “Em Frente, Brasil”. O projeto enviou equipes da Força Nacional para combater a criminalidade na capital goiana.
Ágatha morreu na noite de sexta-feira (20). Ela estava dentro de uma Kombi com a mãe, quando foi baleada nas costas. Moradores afirmaram que PMs do RJ atiraram contra uma moto que passava pelo local, e o tiro atingiu a criança. Já o porta-voz da corporação alegou que não há indicativo da participação de um policial militar na morte da criança.
Após a morte de Ágatha, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu "uma avaliação muito cuidadosa e criteriosa sobre o excludente de ilicitude", que prevê isenção de punição a policiais em algumas situações e que está em avaliação no Congresso Nacional. A manifestação do político foi feita no domingo (22), em uma rede social.
Nesta segunda-feira, o ministro ponderou que o assassinato de Ágatha não deve prejudicar a avaliação do pacote anticrime, enviado por ele ao Congresso Nacional, em fevereiro.
"Diante da falta de esclarecimento de toda circunstância, qualquer juízo em relação ao efeito disso para a proposta que nós colocamos no Congresso me parece prematura. Pelo que vejo, sem os fatos terem sido ainda esclarecidos, não haveria uma situação que poderia invocar a legítima defesa. A proposta do projeto anticrime diz respeito ao aperfeiçoamento do instituto da legítima defesa. Então, pelo que caminha o esclarecimento dos fatos noticiados por cima, mas que precisam ser confirmados, não haveria uma situação compatível para o qual se aplicaria o projeto anticrime", afirmou.

Morte de PM

Durante o evento, o ministro também lamentou a morte do soldado da PM, Walisson Miranda Costa durante o trabalho, em Aparecida de Goiânia. Ele prestou condolências aos familiares.
“A alta taxa de criminalidade nos cobra um preço alto e o que tentamos é diminuir as vítimas da violência cotidiana (...). Todas as vidas importam. Esse é o mote do ministério e nossa política de segurança pública, mais do que reduzir números, quer proteger pessoas”, disse.

MORTE DA MENINA ÁGATHA FÉLIX

 
Fonte: G1Goiás
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »