15/01/2019 às 09h11min - Atualizada em 15/01/2019 às 09h11min

Com Incentivo Da Prefeitura, JS Vai Esmagar 9,4 Toneladas De Grãos Por Mês E Gerar 160 Empregos Em Costa Rica

Com incentivo da Prefeitura Municipal de Costa Rica, a JS Grãos Armazéns Gerais, empresa especializada na armazenagem de grãos, industrialização de torta e óleo de algodão e transportes deve ser inaugurada nos próximos meses, gerando 160 empregos diretos e indiretos no município. A unidade está localizada na rodovia MS-306, zona rural do distrito de Baús. A transportadora, por sua vez, já está operando em Chapadão do Sul com frota própria e terceiros.
Costa Rica foi escolhida de forma estratégica, por estar localizada numa região de forte produção de grãos, em especial de algodão, e ainda por estar perto da divisa com os estados de Goiás e Mato Grosso. A JS  está instalada numa área de 7 hectares, com escritórios administrativos, refeitório, oficina mecânica, alojamentos, balança rodoviária, seis silos para armazenagem de 4.200 toneladas cada, quatro moegas para 60 toneladas cada, secadores, tulha de expedição, elevadores correias transportadoras, transformador de 750 KVA, tanque de combustível, armazéns, oito prensas,  quatro cozinhadores e mais.
 
Desenvolvimento
O prefeito Wadeli dos Santos Rosa disse que a Prefeitura disponibilizou serviços de terraplanagem para facilitar a construção da obra. Além disso, destacou que é importante atrair empresas dispostas a usar a matéria-prima produzida no município, pois isso fortalece a cadeia econômica como um todo. “A gente sonha sempre com empresas que venham usar nossa matéria-prima. Além disso, o custo do frete é baixo, pois tudo o que o empresário precisa está ao redor, a menos de dez quilômetros”, afirmou.
 
Ainda conforme o prefeito, a chegada da JS renova o fôlego da economia costarriquense pois vai estimular a produção local e criar mais oportunidades de emprego, isso sem mencionar a arrecadação de impostos. “Uma das grandes contribuições [da empresa], foi mandar a frota para Costa Rica [para que o IPVA arrecadado seja destinado ao município]. Em contrapartida nós demos o incentivo da terraplanagem, fazendo o que eles precisavam para construir o barracão”.
Gestão
A empresa e instalações são de propriedade da empresária Juliane Leonardo Oliveira Silva, que, hoje detém 100% das cotas de capital e é responsável pela administração da sociedade.  Experiente e responsável pela gestão desde a sua fundação, ela atua no segmento de armazenagem e movimentação de grãos, tem também experiência na administração em importante empresa no setor de esmagamento de caroço de algodão e extração de óleo e torta de algodão, onde atuou por cinco anos.
 
Além disso, Juliane foi docente na PUC Goiás até o no passado, mas esse ano resolveu dedicar-se em tempo integral a empresa. Naturalmente empreendedora, mestre em Atenção à Saúde pela PUC  Goiás e especializada em Gestão Empresarial pela FGV, Juliane se diz presa pela modernidade na gestão com iniciativa própria, persistência, autoconfiança, coragem e responsabilidade.
“Planejamento, eficiência e trabalho em equipe são pontos que considero essenciais ao sucesso de seus negócios. Tenho larga rede de conhecimentos e contatos com produtores, fornecedores e clientes do setor. Venho de uma família que atua nesse ramo há 24 anos. Meu pai, Severino Bispo da Silva Filho, possui outras empresas nos estados de Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul”, disse. Eles juntos, somam esforços para a constituição da empresa que tem previsão de inauguração no primeiro semestre de 2019.
Plano Operacional
De acordo com a empresária, a implantação do projeto passa pela instalação dos equipamentos destinados ao esmagamento do caroço de algodão, instalação de tanque de óleo, instalações elétricas, adequação dos escritórios, contratação de software de controle, definição da estrutura operacional e contratação da mão de obra necessária para a operação da empresa.
“Estimamos que a capacidade real de esmagamento instalada será de 9.400 toneladas por mês, com produção de 936 toneladas por mês de óleo de algodão e de 8.236 toneladas por mês de torta de algodão, com 2 turno de produção. Logo a curto prazo a JS Grãos irá gerar 40 empregos diretos e 120 indiretos em sua composição”, pontuou. Dentro de dois anos, a expectativa é de que o total de empregos diretos quase dobre. “Depende do desenvolvimento da fábrica”.
Mercado
Ela afirma que mercado consumidor para o esmagamento de caroço de algodão está basicamente centralizado em empresas que compram óleo bruto de algodão destinado à produção de Biodiesel ou para refinamento, e torta de algodão de alto valor proteico, destinado à alimentação animal principalmente de gado bovino para confinamentos.
“Este mercado encontra-se principalmente situado nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e São Paulo para vendas a granel e no Norte e Nordeste para vendas em sacos. A produção de torta de algodão ainda encontra-se na mão de poucas empresas que fazem o esmagamento do caroço”
Fonte: MS TODO DIA
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »