Destakinews Publicidade 728x90
20/08/2019 às 14h27min - Atualizada em 20/08/2019 às 14h27min

Três travestis e dois homens são suspeitos de assaltar clientes que marcavam programas com eles, em Goiânia

Polícia Civil cumpriu mandados de quatro deles, que já estavam presos, e um foi detido na Espanha e precisa ser extraditado para ter prisão cumprida.

A Polícia Civil cumpriu mandados de prisão contra quatro pessoas suspeitos de extorquir clientes durante programas sexuais, em Goiânia. Após os crimes, o grupo, formado por três travestis e dois homens, gastava o dinheiro em festas.
As três travestis e um homem estão presos desde junho em Brasília suspeitos de aplicar os mesmos golpes. O último investigado está preso na Espanha.
De acordo com a polícia, as vítimas marcavam programas sexuais em site com uma das travestis. Ao chegarem ao hotel combinado, as vítimas eram rendidas pelos outros suspeitos, que estavam escondidos no banheiro.
“Eles agiam com muita violência, com chutes, soco, ameaçando com estilete no pescoço. Depois disso, eles pegavam os celulares das vítimas, faziam transferências bancárias, levavam máquinas de cartão para conseguir mais dinheiro”, disse o delegado Paulo Ribeiro
Foram cumpridos os mandados contra Eduardo Souza Luz, de 24 anos, que usava o nome Stephany, Yago Pereira da Silva, de 23 anos, que tinha o nome de Anita, Marcelo Dias Moreira, de 20 anos, que é travesti, mas não tem nome social, e Samuel Junio Nápole, de 22 anos.
Paulo Rogério, de 20 anos, foi preso na Espanha. A polícia espera a extradição dele para que seja cumprido o mandado contra ele.
G1 não conseguiu identificar quem representa os investigados para pedir um posicionamento sobre as prisões.
Em Goiânia, foram identificadas quatro vítimas, mas apenas duas registraram o caso, mas para tentar reaver o dinheiro. Uma das vítimas teve um prejuízo de R$14 mil. Já a outra, de R$ 5 mil.
“Os criminosos acreditavam que a vergonha das vítimas em denunciar seria maior. Então eles transferiam o dinheiro das vítimas para as próprias contas, usavam os próprios nomes e documentos para dar entrada em hotéis”, disse.
O grupo vai responder por extorsão qualificada e associação criminosa.
 
Fonte: G1Goiás
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Destakinews Publicidade 1200x90