13/08/2019 às 14h35min - Atualizada em 13/08/2019 às 14h35min

Governo de Goiás e Prefeitura de Goiânia se reúnem para discutir privatização do Eixo Anhanguera

CMTC espera que, em um ano, linha de ônibus já esteja funcionando sob a nova administração. Linha atende a cidades da Região Metropolitana.

O Governo de Goiás e a Prefeitura de Goiânia se reuniram nesta terça-feira (13) para discutir sobre a privatização dos 74 km do Eixo Anhanguera. Segundo os representantes, a medida não causaria aumento da passagem e as linhas continuariam atendendo a outras cidades da Região Metropolitana.
Atualmente, a Metrobus é a responsável pela gestão das linhas. Esta é a segunda reunião entre governo e prefeitura para discutir o assunto. “O Estado não tem como arcar com os custos e as melhorias do transporte coletivo. Não cabe ao Estado estar envolvido em troca de motor, pneu, de ônibus”, disse o governador Ronaldo Caiado (DEM).
A Prefeitura de Goiânia é, originalmente, a responsável por administrar a linha. Porém, em 1976, um contrato transferiu a concessão para a esfera estadual. Agora, o governo quer devolver a linha para o município.
“A Metrobus faliu, e o povo que está sofrendo com isso há cinco anos. O Estado e a prefeitura querem privatizar. Foi apresentado um estudo e representantes das duas partes vão analisar a melhor forma de fazer isso para que seja feita uma nova licitação para a concessão do Eixo”, disse o prefeito de Goiânia, Iris Rezende.
Ainda é necessário avaliar questões legais. A expectativa da CMTC é que em 60 dias haja uma definição sobre esse processo e que em julho de 2020 o Eixo Anhanguera já esteja funcionando sob a nova concessão.
A empresa que ganhar a licitação será responsável por fazer melhorias nos ônibus, plataformas e terminais. Ainda segundo o órgão, as cidades atualmente atendidas pela linha de ônibus serão mantidas no trajeto. A expectativa também é que, com essa privatização, possam ser feitos novos estudos para reduzir o preço das tarifas.

Discussão antiga

A privatização do Eixo Anhanguera é avaliada desde o governo de Marconi Perillo (PSDB) e, posteriormente, de José Eliton (PSDB). Porém, o projeto não saiu do papel. A linha de ônibus atende Goiânia, Trindade, Senador Canedo e Goianira.
Em março deste ano, uma audiência pública na Câmara Municipal de Goiânia discutiu a possível privatização do Eixo Anhanguera. A proposta, segundo os vereadores, era ouvir sugestões que pudessem mostrar a viabilidade ou não de passar o trecho à iniciativa privada. O encontro reuniu parlamentares e representantes das empresas que administram o transporte coletivo na capital.
 
Fonte: G1Goiás
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »