29/07/2019 às 14h26min - Atualizada em 29/07/2019 às 14h26min

‘Destroca dos filhos está sendo muito difícil’, diz pai de bebê

Crianças nasceram no mesmo dia, com minutos de diferença, no mesmo hospital de Trindade. Agora, vão fazer novos exames de DNA para confirmar as verdadeiras paternidades.

Os pais dos bebês que foram trocados em hospital de Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia, contam que estão passando um momento muito complicado, pois as mães já se apegaram sentimentalmente às crianças. Os casais esperam agora novos exames de DNA para confirmar as paternidades para que os meninos sejam entregues aos pais biológicos de cada um. A Polícia Civil já está investigando o caso.
“A destroca dos filhos está sendo muito difícil para elas, porque já pegar afeto e amor aos bebês. Mas a gente sabe que vai ser isso que vai ter que acontecer. Mas, para mim, agora são dois filhos”, disse Genésio Vieira de Sousa.
Os dois bebês nasceram no dia 9 de julho no Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin) com poucos minutos de diferença. O caso foi descoberto após um dos pais desconfiar de um erro ao perceber que o neném dele e da esposa, que são morenos, nasceu branco dos olhos azuis. O casal decidiu fazer um exame de DNA que comprovou que nenhum deles era pai biológico da criança com quem estavam em casa há quase 20 dias.
Ao saber dessa desconfiança, outro casal que teve o neném no mesmo dia e no mesmo hospital, manifestou também a desconfiança pela falta de semelhança, mas que não conseguiram comentar nem mesmo entre si.
No último final de semana, os casais se encontraram e estreitaram os laços. “Fomos para a casa deles, ficamos todo mundo juntos, a Aline [de Fátima Bueno Alves, esposa dele] pegou o neném dela, amamentou”, disse Murillo Marquez Praxedes Lobo, pai de um dos bebês.
As duas famílias buscam se apoiar para enfrentarem da melhor maneira essa situação. “Está sendo um momento bastante estressante, mas está vindo a recompensa, porque conhecemos essa família do nosso suposto filho que é maravilhosa e já entramos em contato, vivendo um momento bom. As mães, cada uma, já amamentaram os bebês”, completou Genésio.
Em nota divulgada no domingo (28), o hospital confirmou que houve a troca dos bebês e disse que afastou quem estava de serviço nas datas de nascimento e alta. Eles também garantiram que estão apurando internamente o ocorrido e em contato com as famílias (veja nota na íntegra ao fim da reportagem).
A delegada Renata Vieira, que assumiu o caso, informou que será feito um novo teste de DNA nesta segunda-feira (29) para confirmar a paternidade em cada caso. Porém, a polícia já pretende destrocar as crianças ainda esta tarde.
“O certo seria que essas crianças fossem para uma casa abrigo até definir a paternidade correta. Como estamos vendo que o fato aconteceu exatamente entre dois casais, vamos efetuar essa troca, com a anuência dos pais, o Conselho Tutelar vai entregar um termo de responsabilidade a esses pais para que eles não registrem essas crianças até sair o exame do DNA. Então, esses pais vão servir como a casa abrigo”, disse.
Porém, os advogados das famílias estão temerosos que essa troca possa ser um novo erro, já que será feita antes do resultado do DNA.
A delegada disse ainda que o pai de um outro bebê que nasceu no mesmo dia no Hutrin procurou a delegacia para saber se existia a possibilidade de que o filho também tivesse sido trocado.
“Acho que não é uma situação para ter um alarme, nós não podemos dizer que houve uma troca entre todas as crianças. É visível que houve uma situação de confusão entre as mães, uma situação pontual, que precisamos desfazer”, completou.
A polícia espera, agora, que o hospital responde questionamentos feitos sobre o caso para dar andamento ao inquérito.

Nota do Hutrin

"O Hospital Estadual de Urgências de Trindade Walda Ferreira dos Santos (Hutrin) esclarece de forma preliminar o seguinte:
- A direção do hospital tão logo foi notificada da suspeita de troca de bebês instaurou uma comissão sindicante para apurar o caso e afastou as pessoas que estavam de serviço no berçário nos dias dos nascimentos e alta de mães e crianças;
- Instaurou um processo ético-disciplinar para apurar responsabilidades no ocorrido;
- Manteve contato com a mãe e com o pai do bebê afim de elucidar o fato em todas as suas possibilidades;
- Notificou a mãe e o pai sobre a realização de exames de DNA para comprovar a paternidade e maternidade sobre a criança e estabeleceu como parâmetro a realização de outros exames visando contraprova do fato;
- Está realizando um completo levantamento de todos os nascimentos na data para eliminar todas as dúvidas;
- Está selecionando todas as imagens de circuito interno de TV para instruir a investigação e documentar as saídas de pais, acompanhantes e crianças nascidas nesse período;
- O instituto Cem, organização social gestora do Hutrin e a direção do hospital estão acompanhando com integral cuidado e respeito aos princípios éticos e de responsabilidade para com a saúde humanizada e tratamento aos pacientes atendidos na unidade".
 
Fonte: G1Goiás
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »