26/07/2019 às 14h14min - Atualizada em 26/07/2019 às 14h14min

Crianças especiais viram modelos em campanha de loja de roupas infantis

 “Quanto amor cabe em uma foto?”. A pergunta, da empresária Amanda Jundi, 33 anos, revela a emoção que sentiu ao realizar o sonho de fazer um ensaio fotográfico com seis crianças especiais para a campanha publicitária de sua loja de roupas infantis. O trabalho teve tanta repercussão que ela perdeu as contas do número de compartilhamentos e das mensagens que recebeu.
Em janeiro deste ano, Amanda atendeu a pequena Júlia, de um ano e meio, que tem síndrome de Down, para confeccionar a roupinha de sua festa de um ano. Depois, foi a vez do garotinho Breno, de cinco anos, que é autista. Ao ver as fotos das crianças com as roupas que havia confeccionado, teve a ideia de homenagear as crianças especiais com um ensaio fotográfico.
Para conseguir os modelos, fez uma postagem nas redes sociais pedindo que os pais de crianças com síndrome de Down e autistas entrassem em contato. A ideia inicial era fotografar apenas duas crianças, mas foram tantas mensagens que acabou selecionando seis.
Em um estúdio decorado com motivos infantis, a garotada, com idades entre um ano e meio e cinco anos, foi fotografada com roupinhas da loja de Amanda, no dia 13 deste mês. Tudo foi muito rápido, para não cansar as crianças, mas a iniciativa ficou eternizada na memória da empresária e nas mais de 150 fotos feitas durante uma hora e meia.

INCLUSÃO

“Nosso objetivo foi homenagear as crianças especiais para promover a inclusão e estimular outros empresários a fazerem o mesmo”, afirmou. Ela conta que as pessoas passaram a enxergar a sua empresa e os seus produtos de outra maneira, desde que lançou a campanha publicitária nas redes sociais.
“Este trabalho foi gratificante porque é uma forma de inclusão, além de dar às mães a alegria de ver o seu filho sendo fotografado, incluído. Isso acaba contagiando as outras pessoas, que se emocionam e associam a marca a algo bom”, afirmou.
Para a mãe de Helena, a assistente social Angélica dos Santos Amorim Pavan, 37, foi gratificante ver a Helena sendo clicada para a campanha publicitária. “Este tipo de iniciativa é extremamente importante, porque mostra que as crianças especiais são capazes de tudo, só precisam ter mais estímulo e apoio dos pais”, disse.
SEM LIMITAÇÕES
A fotógrafa Mari Capello, que fez o trabalho, concorda com Angélica e diz que o ensaio é uma maneira de alertar a sociedade que as crianças especiais não tem ter que ser limitada nas opções.
“Elas podem fazer tudo o que quiserem; se for preciso alguma adequação, a sociedade tem que proporcionar isso”, afirmou. “Foi lindo dar prioridade a estas crianças e perceber a alegria das mães ao ver os seus filhos fazendo propaganda para uma marca de roupas, fazendo coisas que qualquer criança pode e deve fazer, sendo incluídos na normalidade”, completou.
CENÁRIO
A comerciante Laísa Meca de Oliveira D’Angelo, que tem uma loja de locação de itens para festas em Araçatuba, também participou do ensaio, cedendo os objetos de decoração. “Quando soube da ideia, achei o máximo, até porque eu tive uma irmã especial que faleceu aos 33 anos, há três anos, e a gente sabe o quanto é difícil a inclusão”, disse.
Para o cenário, Laísa forneceu baú, cadeirinhas, banquinhos, mesinhas, cilindros e brinquedos como urso, trenzinho e carrossel, dentre outros objetos para tornar o ambiente agradável para os pequenos modelos e bonito para as fotos. O espaço também recebeu um grande arco de balões.
NOVO ENSAIO
Ainda bastante emocionada com o trabalho, a empresária Amanda Jundi disse que pretende realizar outro ensaio, desta vez, para o Dia das Crianças.
Para isso, está à procura de uma criança cadeirante. A ideia é reunir várias crianças, tanto as especiais quanto as que não têm síndromes, para promover, mais uma vez, a inclusão.
Fonte: RegionalPress
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »